As postagens desse blog são em caráter informal e de apego ao conhecimento popular.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Lançamento de Livros em Macapá (Novembro/2011)

Os amantes da literatura tiveram a grata satisfação de conhecer novas obras em Macapá, publicadas este mês. Foram três os lançamentos que pude prestigiar e, claro, ter oportunidade de conhecer os autores e um pouco mais da história , contos e encantos desta Amazônia amapaense. Veja o que foi lançado e prestigie estes autores conhecendo suas obras:
Dia 04/11  - Lançamento do livro "Do lado de cá: Fragmentos da História do Amapá". Uma rica coletânea de 22 textos de diferentes autores (todos da área de ciências humanas e ligados ao Curso de História da UNIFAP), organizada por cinco professores da instituição (Alexandre Amaral, Augusto Oliveira, Dorival Santos, Paulo Cambraia e Sidney Lobato) e que faz um resgate de importantes passagens históricas deste Estado. O evento ocorreu no Centro Franco-Amapaense e contou com a presença maciça de muitos acadêmicos e estudiosos da história amapaense. "Do lado de cá" vem somar um pouco mais de  conhecimentos e reflexão  sobre a história e eventos ligados a esse pedaço da Amazônia tão desconhecido e que tem muito a revelar.
Rapaz!! O auditório do Centro ficou lotado, os organizadores teceram suas considerações e todos os autores foram apresentados. Foi o lançamento em que vi mais gente. Também! Trata-se de um importante material para o acervo histórico amapaense. Ih... essa mania é ridícula (ah, mas tô nem aí!!) e aí está o velho Samsa posando mais uma vez de papagaio de pirata. Ufa! Deu um trabalhão para que vários dos autores fizessem uma dedicatória. Deixo meus agradecimentos ao organizador Sidney Lobato, que doou um destes exemplares para a Biblioteca SEMA em Macapá - através da Gerente do NIDA/Biblioteca, a ilustríssima senhorita Rosa Dalva.
"...Os trabalhos reunidos na obra a seguir apresentam aspectos da vida brasileira, do lado de cá do país. Eles ressaltam processos históricos que, mesmo assumindo dimensões próprias no espaço amazônico, expressam tensões que constituem o drama brasileiro. Por meio deles, a Amazônia deixa de ser vista, unicamente, como reduto natural, no qual a humanidade parece sempre deslocada ou indevida. Tais trabalhos dão conta, ainda, da produção de conhecimento histórico a partir do lado de cá e testemunham que o Brasil, como disse o poeta, é muito mais que a zona sul." (Mauro Cezar Coelho)
"A obra que agora sai do prelo impressiona pelo seu tamanho e variedade de temas. Ela apresenta um novo e promissor momento da pesquisa histórica amapaense... É crescente o descontentamento em relação à falta de um sistemático estudo desta história nas redes estadual e municipais de ensino. Indo ao encontro de tal demanda, esta coletânea parece ter a vocação de ocupar o lugar de obra de primeira grandeza no estudo de nossa história." (Os organizadores)

Os textos (artigos) estão dispostos em 04 partes no livro:
PARTE 1 - Tramas do Poder: Estratégias, Projetos e Governanças
1) Nesse sertão não nomeio nenhum cabo de canoa: o público e o privado na Amazônia portuguesa do séc. XVIII (Paulo Marcelo Cambraia da Costa)
2) Em busca do país das amazonas (Janaína Valério Pinto Camilo)
3) A cruzada de Oswaldo Cruz nas tramas do poder: o tour de force e o combate à febre amarela na Amazônia (Alexandre Souza Amaral)
4) Integração, nacionalização e povoamento nas margens do território nacional (Maura Silva)
5) Os descaminhos da fortuna: a política de colonização no AP/1940-1958 (Sidney Lobato)
6) Os museus do Amapá e a modernização da Amazônia: a natureza nos escritos de Waldemiro de Oliveira Gomes / 1965-1970 (Evelanne Samara Alves da Silva)
7) Acordo quadro de cooperação Brasil-França: um estudo da política externa brasileira para a fronteira Amapá-Guiana Francesa (Carmentilla das Chagas Martins)
PARTE 2 - Amarras do discurso: sujeitos e representações nas lutas político-sociais
1) Veiga Cabral e os jogos políticos na transição da monarquia a república (Willian Gaia Farias & Raimundo Nonato da Silva)
2) O presídio de Clevelândia do Norte: a imprensa e as disputas políticas (Edson Brito)
3) A voz de Deus no lar amapaense: potencialidades de pesquisas no jornal A Voz Católica (Tatiana Pantoja Oliveira)
4) Representações sociais na história recente dos povos indígenas do Oiapoque/AP (Cecília Maria Chaves Brito & Simone Pereira Garcia)
5) Conflitos rurais no Amapá / 1970-1990 (Allyne Colares Távora Modesto, Kelly Leão Machado & Rafaele Costa Flexa)
6) Entre masmorras reais e imaginárias vicejou o terror: a violência do estado durante a ditadura militar no Amapá (Dorival da Costa dos Santos)
7) Movimentos sociais na nova república: AP em evidência (Ricardo Corrêa & Leonel Martins)
PARTE 3 - Faces do preconceito: etnicidade, negociação e conflito
1) A máscara e o espelho: revelando as desigualdades raciais no Amapá (Alexsara Maciel)
2) "Primeiro macumba era coisa de preto, de pobre, de marginal": as religiões afro-brasileiras em Macapá (Marília Nascimento)
3) As cotas raciais e os negros: da legitimação do racismo às lutas contra as desigualdades sociais no Amapá (Ney Oliveira da Costa)
4) Conflitos ambientais e processos de territorialização na comunidade negra da ressaca Lagoa dos Índios, em Macapá/AP (Cecília Bastos & Simone Garcia)
PARTE 4 - A (re) produção da riqueza: alimentação, moradia e relações de classe
1) Maldição de Tântalo: alimento e fome como contradição no desenvolvimento do AP (Augusto Oliveira)
2) "Uma ferrovia vara a selva": governo territorial, ferrovia e progresso (Ana Silva)
3) Capital, trabalho e moradia em complexos habitacionais de empresa: Serra do Navio e o Amapá na década de 1950 (Adalberto Júnior Ferreira Paz)
4) O cotidiano do trabalhador da ICOMI dentro e fora do espaço fabril: como se efetivava o controle social (Elke Daniela Rocha Nunes)
A obra pode ser adquirida em livrarias de Macapá.
Mais informações em escritoresap.blogspot.com

Dia 17/11 - Lançamento da obra "As Aventuras de Dona Florzinha" de Esmeraldina dos Santos. É no dia 20/11 que celebramos o Dia da Consciência Negra, data de reflexão e de muitos eventos educativos sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. O dia foi criado em 1965 e coincide com o da morte de Zumbi dos Palmares, ícone da história e cultura neste país. A Semana da Consciência Negra celebra isso e em 17/11 (na Escola Estadual Maria do Carmo Viana dos Anjos, no Bairro Jardim II) pude prestigiar um evento com exposição sobre o tema e o lançamento do livro da Esmeraldina.
Esmeraldina dos Santos é amapaense, nascida em Macapá, de raízes no Curiaú e autora do livro "Histórias do meu povo".
Na foto é a que está de saia verde e a senhora do meio é a Dona Francisca Ramos (protagonista da publicação).
Esta obra é direcionada ao público infantil e apresenta histórias vividas e contadas em textos curtos.
As ilustrações são de Silva e os desenhos podem ser coloridos pelas crianças. 
Lá está o Gregor Samsa na sua pose de sempre... solta esse queixo, rapaz, que não vai cair!
Veja aí um pouco da diversidade de coisas feitas pelos alunos, na exposição escolar. Parabéns a essa moçada! 
... Mais um pouco da produção dos alunos, houve também a venda de artefatos e apresentações culturais. Algumas pessoas encheram a bola, demais até, de Gregor Samsa, que foi apresentado como um intelectual da cultura amapaense.... que é isso! Meio sem graça, não pode permanecer muito tempo, pois havia fugido do trabalho em uma tarde movimentada na biblioteca, voltando a jato para suas funções!!! Valeu muito por conhecer a Esmeraldina, autora muito simpática e, esta sim, merecedora de todo agradecimento pela contribuição e incentivos a cultura do Amapá. 
Agradecimentos à autora pela soma de mais um tijolo na bonita e forte edificação LITERATURA DO AMAPÁ.
Dia 28/11 - Lançamento do livro "Mestre Açaizeiro e Assembléia dos Peixes" de César Bernardo de Souza. São dois contos amazônicos, o evento ocorreu na Assembléia Legislativa do Estado do Amapá e, paralelamente, houve a exposição de quadros do artista plástico Herivelto Maciel.
"Mestre Açaizeiro é um texto com características de realismo mágico que nos faz pensar na relação homem-natureza... O autor foi bastante privilegiado ao contar uma singela história que ressalta o amor, a ternura, a sensibilidade e o que há de mais elevado na alma do ser humano quando este demonstra a solidariedade, o interesse verdadeiro por seu semelhante e por todos os seres vivos que compõem a vida em nosso planeta. Já Assembléia dos Peixes é uma história em que irrequietos cardumes do rio Iratapuru, que passa no município de Laranjal do Jari, estão em polvorosa depois da morter do Mandubé, o que vai ocasionar uma verdadeira caçada ao assassino em muitos episódios - ora grotescos, ora engraçados, em que as suspeitas recaem sobre vários habitantes subaquáticos daquela região de floresta amazônica... A junção destas duas fábulas com certeza vai ao encontro de uma necessidade dos nossos estudantes e professores de tomar contato com uma produção literária de cunho ficcional que tem tudo a ver com a nossa realidade amazônica..." (Paulo Tarso Barros)
Gregor Samsa e suas papagaiadas!
Mais um vez, agradecimentos ao César pela boa obra. Particularmente, o tema contos amazônicos está em grande cota em minhas preferências.
Mais informações em LITERATURA NO AMAPÁ, o Blog da APES (Associação Amapaense de Escritores) editado por Paulo Tarso (escritor e professor).